Ligue grátis para 0800-735-0553 contato@silix.com.br

Equipamento fornecido: “SERVIDOR SILIX 64* NÚCLEOS ESCALÁVEL-DRH”

Fomentado por: FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo – Processo nº 19-08928-9.

Resumo do processo:

“A modelagem e simulação computacional aplicada a ciências e tecnologia de materiais e executada a partir de métodos de estrutura eletrônica têm assumido um importante papel não só no auxilio de informações e interpretações obtidas a partir de pesquisas experimentais, mas bem como na possibilidade de prever de forma racionalizada as propriedades de materiais, a qual tem contribuído para direcionar possíveis caminhos para aplicações nas diversas áreas das Ciências. Neste contexto, é de particular interesse a convergência para sistemas análogos aos de nanotubos de carbono, os quais têm sido alvo de pesquisas com um crescente interesse em busca das mais variadas aplicações, as quais abrangem desde a eletrônica até a área de biomateriais. Devido a busca por materiais com morfologia similar ao grafeno e aos nanotubos de carbono, estruturas inorgânicas análogas ao grafeno foram sintetizadas, tais como o siliceno, germaneno, staneno e o nitreto de boro hexagonal. Em particular, recentemente foi sintetizado o grafeno poroso (PG) e fundamentado nesta observação foi teoricamente proposta uma nova estrutura, denominada grafenileno (GP), que é um semicondutor, considerado como uma alternativa ao grafeno. Neste sentido, baseados nestas observações o presente projeto tem como objetivo, desenvolver modelos teóricos aplicando a Teoria do Funcional da Densidade a modelos periódicos para analisar as propriedades estruturais, eletrônicas e ópticas de nanotubos gerados a partir das superfícies análogas ao PG e GP para o ZnO, ZnS, GaN e TiO2, e comparar os resultados obtidos com seus respectivos nanotubos sem poros, funcionalizando-os por intermédio de interfaces com outros sistemas de mesma estrutura cristalina, tais como, ZnO/GaN e, ZnO/ZnS e também por dopagens com terras raras e adsorção de gases, tais como o NH3, NH2, CO e CO2. Ao final espera-se determinar uma metodologia para a funcionalização desta classe de materiais e também apontar novas propriedades ou mesmo aquelas que podem ser intensificadas, podendo assim direcionar experimentalistas e novas aplicações. (AU)” (Fonte: https://bv.fapesp.br/pt/auxilios/104330/modelagem-e-simulacoes-da-funcionalizacao-de-nanotubos-porosos-inorganicos/?q=2019/08928-9)